Episódio #52 – DataBrokers, Privacidade e Discriminação

Neste episódio descrevemos o funcionamento dos databrokers e explicamos o motivo pelo qual, na nossa visão, suas atividades podem trazer sérias ameaças à privacidade e provocar discriminações entre os consumidores.

Reproduzir

ShowNotes

  • Indicação de software de backup (Backup2l) feita pelo André Carézia
  • Notícia – Facebook expande perfis de usuários com foco em publicidade
  • Relatório da FTCDATA BROKERS – A Call for Transparency and Accountability – Federal Trade Commission
  • Relatório do Senado AmericanoA review of the data broker industry: collection, use, and sale of consumer data for marketing purposes
  • Livro “Cadastro Positivo” de Leonardo Roscoe Bessa na livraria Revista dos Tribunais
  • Copo que “sabe” o que você está bebendo
  • Link para o Serasa Mosaic
  • Site TakeThisLollipop
  • Notícia – MPF diz que Oi vazava dados sigilosos de clientes para UOL e Terra

Um comentário em “Episódio #52 – DataBrokers, Privacidade e Discriminação

  1. Olá Guilherme e Vinicius,

    No filme The Circle lançado esse ano(2017), vemos a protagonista ser engolida pela tecnologia, enfrentando diversos problemas inclusive perder a ligação familiar com seus pais e próximos. Pessoalmente, me senti incomodado em diversos momentos com a quantidade de pessoas em volta da personagem tentando empurra-lá para dentro do “Circulo”(nome que faz referencia direta ao circulo de “amizade” em diversas redes sociais conhecidas).

    Revelando alguns spoiler’s do filme, após a protagonista ser engolida pela tecnologia, ela sugere ao criador da ferramenta “The Circle” criar uma regra que apenas os cidadãos cadastrados poderão votar, indo além inclusive, obrigando à cada um deles ter uma conta, utilizando frases como “Você já paga imposto, mesmo não querendo; Por que não paramos de duplicar os serviços? Poderiamos pagar os impostos, votar, validar o estacionamento; Poupariamos centenas de horas de nossos usuários”.

    Em paralelo, já temos contato com situações similares como ao utilizar serviços na internet, onde com apenas um clique podemos utilizar a conta do Facebook, Gmail, etc.. e em contra partida, para criar um conta no serviço é necessário pelo menos 2 minutos. Sendo que ultimamente com o número crescente de serviços disponiveis, temos poucas opções, Ou utilizamos um gerenciador de senhas, Ou criamos uma senha(que possivelmente iremos esquecer) sem um gerenciador, Ou utilizamos uma conta de outro serviço, para intermediar isso(sendo a mais provável).

    Enfim, acho um tema interessante e ainda temos muito a discutir sobre isso.

    Parabéns pelo episódio!

    Abraços!

Deixe uma resposta